obra de Iberê Camargo

Obra de Iberê Camargo…

A Galeria Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, em Brasília, receberá, a partir de 09 de outubro, a mostra Iberê Camargo: No Drama.

A exposição revela uma face pouco conhecida de um dos maiores artistas brasileiros do século 20: seus trabalhos inspirados na literatura, no teatro, na dança, na música e no cinema. A exposição é uma realização do Tribunal de Contas da União em parceria com o Departamento Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI).

Em No Drama, as peças de Iberê Camargo demonstram o dinamismo de um artista que fazia de suas sessões de pintura momentos de criação reveladores de uma alma curiosa, ruidosa, atenta e sofrida.

Este slideshow necessita de JavaScript.

De 9 de outubro a primeiro de dezembro, o público poderá ver telas, guaches e estudos do artista que fazem parte do acervo da Fundação Iberê Camargo. A mostra também inclui dois curtas metragens e um documentário.

Também fazem parte da exposição uma série de desenhos, estudos de figurinos e cenários para um projeto de encenação do balé “Rudá”, de Heitor Villa-Lobos, produzidos em 1959. A exposição contará também com uma sessão interativa feita a partir de 8 painéis confeccionados em 1960, da lenda “Salamanca do Jarau”, e presenteados por ele a Luiz Aranha, amigo e mecenas do início de sua carreira artística.

Além de “Presságio”, outro curta-metragem presente na exposição é “Pintura Pintura”, do fotógrafo Mario Carneiro, que registra um depoimento de Iberê enquanto pinta um retrato.

Como parte das atividades paralelas à mostra, haverá exibição do documentário “Magma”, de Marta Biavaschi, realizado em 2014. O filme apresenta Iberê Camargo e faz reflexões sobre sua arte, vida e obra por meio de imagens e áudios de arquivo.

A realização da mostra Iberê Camargo: No Drama, em Brasília, é uma parceria firmada entre o TCU e o SESI, oferecendo à sociedade brasiliense oportunidades relevantes de acesso à cultura e ações educacionais comprometidas com a criatividade e a valorização da cidadania.

PROGRAMA EDUCATIVO

Durante o período de exposição de “Iberê Camargo: No Drama”, estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior podem visitar a exposição por meio do programa educativo do TCU, que oferece visitas orientadas.

O artista

Iberê Camargo nasceu em Restinga Seca – RS, em 1914. Em 1927, iniciou seu aprendizado em pintura na Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria. Em 1936, mudou-se para Porto Alegre, onde conheceu Maria Coussirat Camargo – então estudante do Instituto de Belas Artes. Casaram-se em 1939. Em 1942, ano de sua primeira exposição, o artista e sua esposa mudaram-se para o Rio de Janeiro. Lá, viveram por 40 anos.

Admirador e amigo de artistas brasileiros como Goeldi e Guignard, Iberê Camargo viajou para a Europa em 1948 em busca de aprimoramento técnico. De volta ao Brasil, em 1950, conquistou inúmeros prêmios e participou de diversas exposições internacionais. Foi no final dos anos 1950 que desenvolveu um dos temas mais recorrentes em sua pintura: os Carretéis.

Ao longo de toda sua produção, Iberê Camargo nunca se filiou a correntes ou movimentos. Em 1982, retornou a Porto Alegre, onde produziu duas de suas séries mais conhecidas: “Os Ciclistas” e “As Idiotas”.

Iberê Camargo faleceu em agosto de 1994, aos 79 anos, deixando uma produção de mais de 7 mil obras. Grande parte desse legado foi deixada a Maria, sua esposa e companheira, cuja coleção compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.

Serviço

Exposição “Iberê Camargo: No Drama”

Curadoria: Eduardo Haesbaert e Gustavo Possamai

Local: Galeria do Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, no Centro Cultural TCU (St. de Clubes Esportivos Sul, Trecho 3) – Brasília DF

Período de exibição: De 09 de outubro a 1º de dezembro

Classificação indicativa: Livre

Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 09h às 18h e aos sábados, das 14h às 19h

Informações: 3316-5381

Agendamento: 3316-5221

Entrada gratuita