doenças do verão

Doenças de verão?

Além de a estação ser a mais quente do ano, a temporada de férias também pode propiciar a propagação do adoecimento, principalmente de crianças

 

Com a chegada do verão e as férias, no mês de janeiro, além da diversão, o período também é propício a propagação de algumas doenças. Entre as mais frequentes enfermidades que podem atrapalhar o tão esperado descanso estão às doenças de pele (micoses, queimaduras solares) insolação, desidratação, otite, conjuntivite, Infeções gastrointestinais e arboviroses (infecções transmitidas por insetos).

 

Para evitar ou minimizar os atendimentos nos prontos-socorros para esses chamados, os pacientes podem (e devem) se prevenir das mazelas. O médico clínico, do Hospital Santa Helena, Daniel Salomão destaca alguns fatores que podem evitar a interrupção do momento de lazer.

 

“É comum os hospitais ficarem cheios para atendimentos do que podem ser classificadas como “doenças de verão”. Para minimizar os impactos na pessoa é importante uma hidratação frequente – com o consumo de bastante água, ter cuidados com a pele, especialmente com uso de protetores solares e evitar a exposição prolongada ao Sol, fazer uso de repelentes, e uma frequente lavagem das mãos, especialmente após uso do banheiro e antes das refeições, e ainda, armazenar os alimentos com atenção e cuidado, especialmente os mais perecíveis”, destaca, o especialista da Rede D’Or São Luiz.

 

Salomão também ressalta que o paciente deve estar atento aos sintomas e, ao perceber, maior gravidade, suspender a automedicação ou tratamento caseiro e procurar o profissional de saúde. O médico destaca que, falta de ar, desmaios, sangramentos, dores persistentes, alteração em sensibilidade ou movimentação em alguma parte do corpo ou dor no peito, são sinais de alerta que devem motivar a busca a um atendimento de urgência, independente do quadro do paciente.

 

“Alterações na pele que estão associadas a dor ou saída de secreções também requerem uma avaliação por um médico, casos de alterações nos olhos, persistência de diarreia ou vômitos por mais de três dias em pacientes adultos também necessitam de atenção. No caso de crianças, especialmente menores de dois anos devem sempre ser avaliadas em caso de diarreia ou vômitos ainda no primeiro dia de sintomas”, alerta.

 

Daniel acrescenta ainda, que, quanto às crianças, choro persistente, sonolência excessiva ou parada de alimentação pela criança devem motivar a avaliação médica.

Conheça algumas das principais doenças no verão:

Insolação

O excesso de exposição ao Sol e ao calor intenso podem provocar tontura, vômito, dor de cabeça e febre. Os sintomas costumam aparecer entre 24 e 48 horas após o período.

Desidratação

Ocorre quando o corpo usa ou perde mais líquido do que o ingerido. Quando isso acontece, o organismo pode ter dificuldades para realizar suas funções normais.

Otite

O contato em excesso com a água também pode levar ao surgimento de infecção no ouvido. Os principais sintomas são dor, sensação do ouvido abafado ou zumbido e a presença de secreção do canal auditivo.

Micoses

As micoses merecem atenção nesta época do ano, devido ao tempo prolongado com roupas molhadas, além de mãos e pés úmidos.

Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação nos olhos que tem três tipos: infecciosa, alérgica e tóxica.

 

Doenças do verão