Ciclista brasiliense

O ciclismo é um esporte que permite a participação do atleta em modalidades variadas. Entre elas, estão a Road Bike, MTB, BMX e Biketrial. Apesar de serem diferentes entre si, todas possuem um ponto em comum: a necessidade de realizar treinos diários para alcançar êxito nas provas e competições.

Independentemente da categoria escolhida, não há como negar a importância da rotina esportiva e, claro, o tempo de treino. “Calcular o tempo do treino é fundamental para o ciclismo, pois ele é determinante para as provas realizadas pelo atleta. Os Granfondos – competição de longa distância – possuem duração de quatro a seis horas, por exemplo”, explica o brasiliense João Vitor Oliveira, atual Bicampeão Mundial de Contra Relógio UCI Granfondo World Series.

 

Ciclista brasiliense

 

Oliveira pontua que, além da cronometragem do tempo, é importante estar atento à intensidade do treino. Para esse ponto, utilizar como parâmetro os batimentos cardíacos e o potenciômetro – aparelho que mede a força, em watts, que minhas pernas aplicam na bike – são tópicos extremamente relevantes para a melhora do ciclista como atleta.

“Nos treinos é preciso simular, de forma individualizada, todas as possíveis situações da corrida, como subidas, ataques e contra-ataques entre competidores, ritmo forte de maior duração, sprint final, enfim, todos esses pontos que estão sempre presentes nas competições. O ideal é treinar, a cada dia da semana, um desses aspectos, com ênfase nas fraquezas do atleta”, aconselha o ciclista.

Em 2017, João Vitor foi classificado como vice-campeão mundial de Granfondo World Series. No ano seguinte, o atleta conquistou o primeiro lugar na mesma competição. Agora, o brasiliense carrega o seu segundo ano consecutivo como campeão mundial de Contra Relógio Granfondo World Series.

Especialista no assunto, Oliveira aconselha também a realização de treinos com outros ciclistas. “Ter alguém para ultrapassar os seus limites é sempre positivo. Motiva o seu corpo a superar seus próprios recordes”, acrescenta. Além disso, a frequência na academia é outro aspecto fundamental para fortalecer o atleta.

Alimentação – Assim como cada treino é executado para uma modalidade específica do ciclismo, a alimentação não poderia ser diferente. Cada prova determina um foco diferente. Competições que apresentam muitas subidas, por exemplo, requerem maior leveza do atleta. Já as provas planas ou com maiores arranques solicitam maior musculosidade do atleta.

Com a vitória no Contra Relógio neste mês, em San Luís Potosí, no México, João Vitor conseguiu classificação para o UCI Granfondo World Championship, uma das maiores competições do ciclismo na atualidade. Essa prova, de acordo com o atleta, possui o percurso mais plano já enfrentado pelo brasiliense. Dessa maneira, Oliveira focará na dieta como uma das estratégias para conquistar o primeiro lugar.

“O mundial será disputado na Polônia, em setembro, e permite a presença dos melhores atletas de ciclismo.  Estou revendo para essa competição em específico os meus treinos e alimentação, juntamente com profissionais qualificados”, conta.

 

Dicas – O universo do ciclismo é bastante vasto e precisa ser explorado com cautela para avançar em competições. Para os iniciantes, a recomendação do campeão mundial é procurar orientação adequada: desde a escolha da bicicleta até quais são os equipamentos necessários para utilizar durante os treinos e as provas.

“Ter alguém para direcionar e te manter motivado é um grande facilitador. Com o treinador certo, o gosto pelo esporte apenas aumenta. Isso vai ajudar a encontrar pontos para serem melhorados e trabalhados”, pontua.

 

Principais títulos – João Vitor Oliveira foi o único brasileiro a competir em San Luis Potosí, neste mês, na prova de Contra Relógio, realizada pela UCI Granfondo World Series.

Além do primeiro lugar conquistado pelo segundo ano consecutivo, o ciclista garantiu sua vaga para a competição UCI Granfondo World Championship, que ocorrerá em setembro, na Polônia.

“No Contra Relógio, assistimos o brasileiro João Vitor Oliveira renovar sua vitória do ano passado sobre o francês Rapha Menu Sagramoso, em segundo, e o mexicano Robinson Miranda, terceiro colocado, com folga de 17 segundos e 24 segundos, respectivamente”, conta Hector Lopez Merida, comissário da União Ciclística Internacional e organizador da prova.

Para conseguir êxito no percurso, o brasiliense precisou de um treinamento intenso e focado na competição. Os treinos, realizados nos Estados Unidos, foram feitos seis vezes por semana na própria bike do atleta. Além disso, João contou com exercícios regulares na academia.

 

Quando tudo começou? – Caçula de uma família de três filhos, João Vitor diz ter sido influenciado pelo irmão Luis Felipe, de 30 anos, que é administrador e há muitos anos pedala nos finais de semana, fazendo trilhas e longos pedais pela região circunvizinha a Brasília. “Comecei a pedalar em 2006 e, dois anos depois, já estava competindo em provas locais. Nesta época, entrei para a equipe de base da Caloi, no interior de SP, e comecei a competir no Brasil inteiro”, conta o atleta, lembrando que, no início, a prática se dava pelo simples prazer e pela sensação de liberdade trazida pela bike.

Entre os principais títulos de João Vitor, destacam-se:  

o Prêmio Brasília, de melhor atleta da categoria por dois anos seguidos (2016 e 2017); atual campeão mundial de Contra Relógio  UCI Granfondo World Series (México, 2018); vice-campeão UCI Granfondo World Series (Dubai 2018); campeão mundial UCI Granfondo World Series em 2017 (México); e

melhor atleta latino americano na Final do Mundial de Granfondo UCI (UCI Granfondo World Championships) na França, no ano passado.

Fonte: Proativa Comunicação

E-mail: [email protected]

Facebook/ Instagram/Twitter: @ProativaC

 

Ciclista brasiliense