Países francófonos

Países francófonos…

 

Março é um mês aguardado por muitos brasilienses. Afinal, há 22 anos é realizado o Festival da Francofonia em Brasília, sempre nesta época. E, como de costume, a programação vem recheada de atividades para todos os gostos e todas as idades. Confira:

Em sua 22ª edição, Festival da Francofonia traz ampla programação pensada por 50 embaixadas

Sétima arte

O cinema francês é atualmente o mais dinâmico da Europa em termos de público, números de filmes produzidos e de receitas geradas por suas produções. Mas algumas delas não entram no circuito comercial das grandes salas de cinema. Por isso, o Festival da Francofonia apresenta a Mostra de Cine Francófono, uma oportunidade rara para ter acesso a obras que dificilmente chegam por aqui.

Até 29 de março, o público terá a chance de conhecer um pouco mais da rica produção cinematográfica da Bélgica, Madagascar, França, Burkina Faso, Suíça, Senegal, Canadá, Tunísia e Togo.

As exibições acontecem durante o dia apenas para os alunos do Centro Interescolar de Línguas (CIL) e, durante a noite, na sala Le Corbusier na Embaixada da França sempre às 19h. A entrada é franca.

Confira a programação:

TERÇA-FEIRA, 26 DE MARÇO, ÀS 19H

  1. África sobre o Sena (Afrique sur Seine – França, Senegal – 1957)
    De Mamadou Sarr e Paulin Vieyra
    Com Marpessa Dawn, M Bathily, AM Baye, C. Clairval, D. Dane, I. Diop, M. Leprovol, P. Letourneur, L. Malik.
    Documentário. 21 min. A partir de 14 anos.Sinopse
    A África está na África, sobre as margens do Sena ou no Quartier Latin? Interrogações agridoces de uma geração de artistas e estudantes à procura de sua civilização, sua cultura e seu futuro.2. Dona Esther (Madama Esther – Madagascar – 2013)
    De Luck RAZANAJAONA
    Comédia dramática. 15 min. A partir de 14 anos.Sinopse
    Dona Esther, uma empregada doméstica de cinquenta anos, foi demitida. Sua promessa de levar seu neto para ver o mar é adiada até encontrar um método para sobreviver.

    3. Pequena Luz (Petite Lumière – França, Senegal – 2013)
    De Alain Gomis
    Com Djolof Mbengue, Assy Fall, Thierno Ndiaye Doss
    Comédia dramática. 15 min. A partir de 14 anos.

    Sinopse
    Em Dakar, no Senegal, Fátima é uma menina de 8 anos. Abrindo e fechando a geladeira, ela se pergunta se a luz continua acesa depois que a porta fecha. Ela descobre que não. Em seguida, Fátima desce na rua, fecha os olhos, os abre de novo, os fecha novamente. As pessoas ainda existem quando seus olhos estão fechados?

    4. Les Avalés du Grand Bleu (Togo, França – 2014)
    De Maxime Kossivi Tchincoun
    Drama. 26 min. A partir de 14 anos.

    Sinopse
    Na espera de notícias de um parente próximo que viajou para Europa numa piroga (canoa  cavada a fogo em um tronco de árvore), a professora Koffi percebe que o pai de um dos seus alunos morreu no mar. Um filme para sensibilizar a juventude sobre os riscos da vida após sair de casa.

    QUARTA-FEIRA, 27 DE MARÇO, ÀS 19H
    A Amante (Inhebbek Hedi – Tunísia, Bélgica, França – 2016)
    De Mohamed Ben Attia
    Com Majd Mastoura, Rym Ben Messaoud, Sabah Bouzouita
    Drama. 1h44min. A partir de 14 anos.

    Sinopse
    Na Tunísia recém-democrática, Hedi (Majd Mastoura) é um rapaz introvertido de 25 anos.. Apático e acomodado, ele permite que todos tomem decisões por ele, como sua autoritária mãe, que planeja seu casamento; seu chefe, que o faz trabalhar em datas comemorativas; e seu irmão, que sempre diz como ele deve se comportar. Mas, ao ser escalado para uma viagem de trabalho, Hedi conhece Rim (Rym Ben Messaoud), com quem inicia passional relação amorosa. Agora, durante o tempo em que os preparativos do matrimônio acontecem, Hedi é forçado a finalmente tomar uma decisão.

Confira o trailer (legendas em português): https://youtu.be/DbDnzvsO2l8

*Para assistir os trailers com legendas em português, siga os seguintes passos na janela de cada vídeo:

detalhes > legendas > Francês > Francês > traduzir automaticamente > Português

Demonstração técnica do processo de criação do Espetáculo Vigiar e Punir

Em parceria com a Aliança Francesa de Brasília e com o Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília, a Cia de teatro Caravan Maschera integra a programação da Semana da Francofonia com uma atividade de compartilhamento e discussão sobre o processo criativo do espetáculo “Vigiar e Punir: um soldado beijava a boca de Foucault na escada da escola”, em cartaz de 21 a 31 de março no CCBB, com o apoio da AF.

A partir do percurso de pesquisa e experimentação de criação do espetáculo inspirado na obra do francês Michel Foucault, haverá um bate-papo com a equipe de criação e uma demonstração técnica da linguagem de bonecos utilizada no espetáculo. Pretende-se compartilhar com o público as indagações, as possibilidades e potencialidades do teatro de formas animadas aliadas à ideias do filósofo francês.

O encontro será no dia 27 de março (quarta-feira), das 19h às 21h no Auditório da Aliança Francesa de Brasília (SEPS 708/907, lote A – Asa Sul). A entrada é Entrada franca.

A FRANCOFONIA

A francofonia nasceu da iniciativa de três eminentes francófonos e Chefes de Estados africanos: Léopolde Sédar, Senegal; Habib Bourguiba, Tunísia, e Hamami Diori, do Níger. O dia 20 de março foi escolhido como Dia Internacional da Francofonia por ter sido a data da assinatura da Convenção da criação da Agência de Cooperação Cultural e Técnica (ACCT) em Niamey, Niger, no ano 1970.

Em 1997, a ACCT foi transformada em Organização Internacional da Francofonia (OIF) por disposição adotada durante a Cúpula realizada em Hanói, Vietnã, revisada em 2005 durante a Conferência de Antananarivo, Madagascar.

Trata-se de um dispositivo institucional que organiza as relações políticas e de cooperação entre os estados e governos da OIF.  Comunidade linguística, que envolve entidades estatais e governamentais que têm em comum a língua francesa e compartilham valores humanistas, culturais e democráticos.

Em janeiro de 2015, a Sra. Michaëlle Jean, canadense de origem haitiana, ex-governadora geral do Canadá, foi empossada como nova secretária geral da Organização Internacional da Francofonia. Ela se tornou a primeira mulher e a primeira personalidade não africana a ocupar esse alto cargo. A Sra. Jean deixou com sua família seu país natal, Haiti, e foi para o Canadá fugindo da ditadura de Duvalier quando ela tinha apenas 11 anos de idade.

Atualmente, a OIF integra 80 países espalhados pelos cinco continentes, sendo 54 membros, 23 observadores e três estados associados.

A 22ª edição do Festival da Francofonia, em Brasília, é presidida pela Embaixada da Tunísia.

 

Serviço:

Festival da Francofonia

Até 31 de março

Programação completa: http://www.afbrasilia.org.br/francofoniaembrasilia/