Dia de pamonha na casa da Dona Fátima é sinônimo de casa cheia, família reunida. A receita tradicional da Dona Fátima tem um sabor especial por ter um processo artesanal e ainda envolver todos os que estão presentes em cada etapa. A família de raízes do interior do Goiás tenta passar a tradição a cada geração.

Segredo da Filha Valéria:

Colocar pedaços de queijo mineiro e catupiry e um toque de canela (quando servida). “Mesmo assim ela fica doce, nós, aqui em casa, preferimos ela adocicada”. Depois de preparadas, elas são colocadas no caldeirão com água fervente.

Pra diferenciar a pamonha doce da salgada, amarramos uma palhinha no cordão. Aliás, enrolar e amarrar pamonha também é uma arte.

 

Depois de cozida, ela pode ser congelada por aproximadamente 1 mês. Para comer, basta aquecê-la novamente por 4 minutos no microondas ou por uns 20 minutos na panela em água fervente, fogo médio.

Origem

O nome “pamonha” vem da palavra tupi pamuña, que significa “pegajoso”. A iguaria é conhecida em vários Estados brasileiros, mas é muito tradicional nas áreas rurais e principalmente no Nordeste.